Pesquisar este blog

Breaking News
recent

Os princípios da administração

O que é administração?

Fayol expõe os princípios da administração em seu livro. Administração geral e Industrial. São eles:
Divisão do trabalho: este faz parte da natureza. É uma imposição de ordem natural. É observada em todo o universo.
A divisão do trabalho permite reduzir o número de objetivos sob os quais devem ser aplicados à atenção e o esforço. Tendo como consequência a especialização das funções e a separação dos poderes.
Entretanto a divisão do trabalho tem suas limitações que a experiência e o bom senso ensinam a não ultrapassar.
Autoridade e responsabilidade são o direito de comandar e de poder fazer-se. Distingue-se em um chefe a autoridade estatuária, inerente a função concedida por lei. A autoridade pessoa com origem na inteligência, no saber, na experiência, no valor moral na capacidade de comando e nos serviços prestados.
Disciplina: baseia-se essencialmente, na obediência, na assiduidade e nos sinais externos de respeito, tudo de acordo com as convenções estabelecidas pela organização.
Unidade de comando sempre deverá ser de forma direta, ou seja, o agente não deve receber de mais de um chefe.
Unidade de direção um só chefe, um só programa para um conjunto de operações que visam o mesmo objetivo. É a condição necessária da unidade de ação, da coordenação de força, da convergência de esforços.

Subordinação de interesse particular

O que é administração

Administração geral

Esse princípio nos lembra que, o interesse de um grupo não deve prevalecer sobre o da empresa: E o interesse da família deve estar acima de um de seus membros; Que o interesse do estado deve sobrepor-se ao do cidadão. 
Remuneração é o prêmio pago pelo serviço prestado. Deve ser equitativa e, tanto quanto possível satisfazer ao mesmo tempo ao pessoal e a empresa.
A taxa de remuneração depende em primeiro lugar de circunstâncias independentes da vontade do patrão e do valor dos agentes tais como a carestia de vida, a abundância ou escacéis de mão de obra (lei da oferta e procura), o estado geral dos negócios, o mercado de produtos e a situação econômica financeira da empresa; Depende ainda da especialidade e do modo de remuneração (pagamento do dia, por tarefa, por peça).                                      
Em resumo, todos os modos de retribuição que tendam a melhorar o valor e a felicidade do pessoal, estimular o zelo dos agentes de todas as escalas, devem ser objeto de contínua atenção por parte da empresa.

Centralização e descentralização

Tal como a divisão do trabalho a centralização é um fato de ordem natural em todo organismo animal ou social, as sensações convergem para o cérebro e deste partem as ordens que movimentam todas as partes do organismo.
A centralização é observada nos pequenos negócios onde as ordens vão diretamente aos agentes inferiores neste caso, a centralização é absoluta.

Hierarquia

Constitui a hierarquia uma série de autoridades superiores e agentes subalternos. A via hierárquica é o caminho que todos seguem, passando por todos os graus as comunicações que partem da autoridade superior ou que lhes são dirigidas. É uma cadeia de comando ao longo da qual possa fluir a autoridade com eficiência e sem atrito.
Ordem
Um lugar para cada coisa, cada em seu lugar (ordem material). A fórmula de ordem social é idêntica “um lugar para cada pessoa e cada seu lugar”.
A ordem deve ter como resultado evitar as perdas de material e de tempo.
Equidade combinação de vontade com justiça, tendo como base a justiça que decorre, por sua vez do respeito às convenções estabelecidas; como estas não podem prever tudo, é necessário interpretar ou suplementar sua insuficiência. Para isso é necessário e indispensável a boa vontade e cooperação.

Estabilidade do pessoal

A adaptação a qualquer função requer tempo, ao longo do qual o agente chegará a desempenhá-la com eficiência se provido dos atributos necessários. A experiência é obtida com o tempo sendo o indivíduo apto à recebê-la.
Iniciativa a capacidade de sugerir soluções originais do decidir nos imprevistos, de agir nas oportunidades e de executar planos de concepção própria. A liberdade de propor e a de executar são os elementos da iniciativa. É necessário encorajar e desenvolver bastante essa faculdade. É preciso muito tato e certa dose de virtude para evitar e manter a iniciativa de todos dentro dos limites impostos pelo respeito à autoridade e a disciplina.
A união do pessoal – a união faz a força
A harmonia e a união do pessoal é uma grande fonte de vitalidade para a empresa. É necessário, pois esforçar-se para estabelece - lá.
O que deve ser evitado nessas relações: não se deve dividir para reinar.
Dividir o seu próprio pessoal é falta grave. Deve-se evitar a dualidade de comando, as atribuições mal definidas e as censuras imerecidas.
Abusos das comunicações devem ser verbais com isto, se ganha rapidez, clareza e harmonia.
 
Empresas de sucesso

Empresas de sucesso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentario

Fabiano . Tecnologia do Blogger.