Pesquisar este blog

Breaking News
recent

Efeitos colaterais de anabolizantes

Os esteróides androgênicos anabólicos (EAA ou AAS – do inglês Anabolic Androgenic Steroids), mas conhecido simplesmente como anabolizantes, são uma classe de hormônios esteroides naturais e sintéticos que promovem o crescimento da massa muscular. São substâncias geralmente derivadas do hormônio sexual masculino, a testosterona, e podem ser administradas principalmente por via oral ou injetável. Atualmente não são utilizados somente por atletas profissionais, mas também por pessoas que desejam uma melhor aparência estética, inclusive adolescentes.

Óleos para crescimento localizado 

Uma atitude que vem espantando médicos e especialistas sobre o assunto é a aplicação localizada de óleos em pequenos grupos musculares. É normal que a maioria dos atletas possuam algum grupo que não acompanhe o ritmo do crescimento dos outros músculos, sendo assim na metade dos anos 1990 Chris Clark anunciou uma invenção que revolucionaria o mundo da musculação.
Sua invenção realmente se tornou para alguns, mas também se tornou um pesadelo para outros. O chamado Synthol é basicamente um óleo que causa uma inflamação no músculo onde é aplicado. Mas não há nenhum processo anabólico envolvido, nenhum aumento de força ou energia.

Os efeitos fisiológicos dos andrógenos como a testosterona e a di-hidrotestosterona

Os efeitos são vastos e vão desde o desenvolvimento fetal para a manutenção de músculos e massa óssea até a vida adulta incluindo o estimulo de estirões de crescimento na puberdade, indução de crescimento de cabelo, produção de óleo pelas glândulas sebáceas e sexualidade (especialmente no desenvolvimento fetal).
Os esteroides anabolizantes são androgênicos e consequentemente produzem efeitos androgênicos no corpo. Os andrógenos estimulam a miogênese, que é a formação de tecido muscular. Também são conhecidos por causar hipertrofia dos dois tipos (I e II) de fibras musculares, embora o mecanismo de como isso ainda não seja totalmente compreendido e existem poucos mecanismos aceitos através dos quais isso pode ocorrer. É amplamente entendido que dosessuprafisiológicas de testosterona em homens não hipogonadais aumenta a densidade do nitrogênio e aumenta a massa magra (muscular) ao mesmo tempo que diminui a gordura, particularmente a abdominal. O aumento na massa muscular é predominantemente da musculatura esquelética e é causado por um aumento na síntese de proteínas musculares ou possivelmente uma diminuição na quebra de proteínas musculares. Existem hipóteses de que andrógenos regulam a composição do corpo ao promover o compromisso de células mesenquimais pluripotentes em linhagens miogênicas e inibindo sua diferenciação em linhagens adipogênicas. Entretanto os andrógenos podem também cumprir um papel anticatabólico ao inibir a atrofia dos músculos esqueléticos através da ação antiglicocorticoide independente do receptor de andrógeno.
Os mecanismo de ação diferem dependendo do esteroide anabólico específico. Diferentes de esteroides anabólicos se ligam ao receptor de andrógeno em diferentes graus, dependendo de sua fórmula química. Esteroides anabólicos como a metandrostenolona não reagem fortemente com o receptor de andrógeno, usando a síntase protéica ou glicogenólise para sua ação, enquanto esteroides como a oxandrolona reagem fortemente com o receptor de andrógeno.
Existem três vias comuns para a administração dos esteroides anabólicos: oral (pílulas), injetável e transdérmico. A administração oral, apenas de ser talvez a mais conveniente, sofre do fato de que os esteroides orais necessitam ser quimicamente modificados, e seu metabolismo na forma ativa pode forçar o fígado. Os esteroides injetáveis são tipicamente administrados intermuscular-mente, para evitar variações bruscas no nível sanguíneo. Finalmente, as administrações transdérmicas via creme, gel ou atadura transdérmica têm se tornado populares nos anos recentes.

Efeitos anabólicos e de virilização

Os esteroides androgênicos anabólicos produzem tanto efeitos anabólicos e de virilização (também conhecidos como efeitos androgênicos).
A maioria dos esteroides anabólicos funciona de duas maneiras simultâneas. Primeiro, eles funcionam ao se ligar ao receptor andrógeno e aumentando a síntese protéica. Segundo, eles também reduzem o tempo de recuperação ao bloquear os efeitos no tecido muscular do hormônio do stress, o cortisol. Como resultado, o catabolismo da massa muscular corpórea é significativamente reduzido.

Exemplos dos efeitos anabólicos

Aumento da síntese protéica a partir de aminoácidos. 
Aumento da massa e força muscular. 
Aumento do apetite. 
Aumento da remodelagem e crescimento ósseos. 
Estimulação da medula óssea, aumentando a produção de células vermelhas do sangue.

Exemplos dos efeitos de virilização⁄andrógenos

Crescimento do clitórios (hipertrofia clitoriana) em mulheres e do pênis meninos (o pênis adulto não cresce indefinidamente mesmo quando exposto a altas doses de andrógenos).
Aumento dos pelos sensíveis aos andrógenos (pelos púbicos, da barba, do peito, e dos membros).
Aumentos do tamanho das cordas vocais, tornando a voz mais grave. 
Aumento da libido. 
Supressão dos hormônios sexuais endógenos. Espermatogênese prejudicada.

Efeitos colaterais não desejado

Muitos andrógenos são capazes de serem metabolizados em compostos que podem interagir com outros receptores de hormônios esteroides como os receptores de estrógeno, progesterona e glicocorticoides, produzindo (geralmente) efeito adicionais não desejados:
Possível pressão sanguínea elevada.
Níveis de colesterol - Alguns esteroides podem causar um aumento nos níveis de LDL e diminuição nos de HDL. Isso pode aumentar o risco de ocorrer uma doença cardiovascular ou doença da artéria coronária em homens com alto risco de colesterol ruim.
Acne – Devido à estimulação das glândulas sebáceas.
Conversão para DHT (Dihidrotestorona). Isso pode acelerar ou causar calvície precoce e câncer de próstata.
Alteração da morfologia do ventrículo esquerdo – os AAS podem induzir a um alargamento e engrossamento desfavorável do ventriculo esquerdo, que perde suas propriedades de diástole quando sua massa cresce. Entretanto a relação negativa entre a morfologia do ventrículo esquerdo e o déficit das funções cardíacas têm sido discutida.
Hepatoxicidade – Causado particularmente por componentes de esteroides anabólicos orais que são 17 – alfa-alquilados para que não sejam destruídos pelo sistema digestivo.
Crescimento excessivo da gengiva.

Efeitos colaterais em homens

Ginecomastia – Desenvolvimento das mamas nos homens. Geralmente isso ocorre devido a altos níveis de estrogênio circulante. Esses níveis também são resultado da taxa aumentada de conversão de testosterona em estrogênio via aromatase.
Função sexual reduzida e infertilidade temporária.
Atrofia testicular – Efeito colateral temporário que é devido ao déficit nos níveis de testosterona natural que leva à inibição da espermatogênese. Como a maioria da massa do testículo tem com função o desenvolvimento do espermatozoide, o tamanho dos testículos geralmente retorna ao tamanho natural quando a espermatogênese recomeça, algumas semanas após o uso do esteroide anabólico ser cessado.

Efeitos colaterais em mulheres

Pêlos do corpo crescem. 
Voz fica mais grave (disfonia vocal). 
Aumento do tamanho do clitóris (hipertrofia clitoriana). Diminuição temporária nos ciclos menstruais.

Efeitos colaterais em adolescentes

Crescimento comprometido – O abuso de agentes pode prematuramente parar o crescimento do comprimento dos ossos (fusão prematura da epífise devido aos altos índices de metabólitos do estrogênio).
Maturação óssea acelerada. 
Aumento na frequência e duração das ereções. 
Desenvolvimento sexual precoce e desenvolvimento extrema das características sexuais secundárias (hipervirilização). 
Crescimento do falo (hipergonadismo ou megalofalia). Aumento dos pêlos púbicos e do corpo. 
Ligeiro crescimento de barba.
Há muito tempo tem sido buscado um esteroide anabólico ideal (um hormônio somente com efeitos anabólicos, sem efeitos virilizantes). Muitos esteroides anabólicos sintéticos têm sido desenvolvidos na tentativa de encontra moléculas que produzam uma alta taxa anabólica ao invés de efeitos virilizantes. Infelizmente, os esteroides mais efetivos conhecidos para aumento de massa corporal também têm os efeitos androgênicos mais fortes.

Uso e abuso

Os esteroides anabólicos têm sido usados por homens e mulheres em muitos tipos diferentes de esportes (cricket, atletismo, levantamento de peso, fisiculturismo, arremesso de peso, ciclismo, beisebol, luta, artes marciais, boxe, futebol, natação etc.) Para atingir um nível competitivo ou para ajudar na recuperação de lesões. O uso de esteroides para se obter vantagens competitivas é proibido pelas leis dos corpos governamentais de vários esportes.
Os esteroides anabólicos têm sido usados também por adolescentes, especialmente aqueles que praticam esportes. Foi surgido que a prevalência de uso entre os estudantes das Universidades americanas pode chegar a 2,7%. Os estudantes homens usaram mais do que as mulheres e aqueles que participavam de esportes, em média, usaram com mais frequência do que aqueles que não praticavam.
É extremamente difícil determinar a percentagem da população que tem utilizado recentemente esteroides anabólicos, mas esse número parece ser muito baixo. Os usuários de esteroides tendem a ser homens entre 15 a 25 anos e fisiculturistas não competitivos e não-atletas que usam por razões cosméticas.

Minimização dos efeitos colaterais

Tipicamente os fisiculturistas, atletas e esportistas que usam anabolizantes tentam minimizar seus efeitos colaterais negativos. Por exemplos, alguns aumentam a quantidade de exercício cardiovasculares para ajudar a evitar os efeitos da hipertrofia do ventrículo esquerdo.
Alguns andrógenos vão se aromatizar e se converter em estrógeno, potencialmente causando alguma combinação dos efeitos colaterais citados acima. Durante o ciclo do esteroide, os usuário tendem a tomar um inibidor da enzima aromatase e⁄ou um Modulador Seletivo do Receptor de Estógeno (MSRE); estas drogas afetam a aromatização e a ligação ao receptor de estrogênio, respectivamente. O MSRE tamoxifeno é de particular interesse, já que ele previne a ligação ao receptor de estrogênio no peito, reduzindo o risco de ocorrer a ginecomastia.
Além disso, a ‘terapia pós-ciclo’ (TPC) é prescrito, a fim de combater a suspenssão endógena da testostertona e recuperar a função do HPTA (eixo hipotalâmico-pituitário-gonadal). A TPC tipicamente consiste em uma combinação das seguintes drogas, dependendo do protocolo que é utilizado:
Um Modulador Seletivo do Receptor de Estrógeno (MSRE), como o citrato de clomifeno e⁄ou citrato de tamoxifeno (esta é a droga primária da TPC).
Um inibidor de enzima aromatase conhecido como anastrozole.
Gonadotrofina coriônica humana, hCG (tem se tornado menos comum, já que hoje este hormônio é mais utilizado durante o ciclo, ao invés de depois).
O objetivo do TPC é devolcer o balanço hormonal endógeno original ao corpo no menor espaço de tempo possível.
Os usuários geneticamente propensos à perda prematura de cabelo, que o uso de esteroides pode torná-la mais acentuada, têm utilizado a droga finasterida por períodos prolongados de tempos. A finasterida reduz a conversão de testosterona em D HT, esta última tendo um potencial muito de causa alopécia (ausência de pêlos). A finasterida não tem utilidade nos casos em que o esteroide não é convertido em um derivado mais androgênico.
Como alguns anabolizantes podem ser tóxicos para o fígado ou podem causar aumentos na pressão sanguínea ou colesterol, muitos usuários consideram ideal fazer frequentes testes sanguíneos e de pressão sanguínea para ter certeza de que seus níveis de pressão e colesterol ainda estão nos níveis normais. Como os anabolizantes podem aumentar o colesterol, eles podem, consequentemente, aumentar o risco de um ataque cardíaco em seus usuários. Logo, geralmente é considerada obrigatória para todos os usuários a realização testes sanguíneos enquanto estiverem utilizando os anabolizantes. 

Imagens de Efeitos colaterais de anabolizantes

Efeitos colaterais


Efeitos colaterais de anabolizantes


Anabolizantes

Você pode citar este artigo, basta copiar o texto formatado logo abaixo. 
Fonte: Empresas de sucesso, Efeitos colaterais de anabolizantes. Pesquisa: Fabiano Rodrigues. Disponível em: http://www.empresasdesucessos.com/2014/03/efeitos-colaterais-de-anabolizantes.html

Referências e Bibliografias
1* M. Cenk Haytac, Onur Ozcelik and Angelo Mariotti. (2013) Periodontal disease in men. Periodontology 2000 61, 252-265. Online publication date: 1-Feb-2013.
2* Medicine and Science in Sports, Anabolic steroids: the physiological effects of placebos. (Ariel & Saville, 1972).
3* Bhasin, S; Woodhouse L, Casaburi R, Singh AB, Bhasin D, Berman N, Chen X, Yarasheski KE, Magliano L, Dzekov C, Dzekov J, Bross R, Phillips J, Sinha-Hikim I, Shen R, Storer TW (2001 Dec). «Testosterone dose-response relationships in healthy young men.». Am J Physiol Endocrinol Metab.
4* O Ozcelik, ¬MC Haytac, ¬G Seydaoglu The Effects of Anabolic Androgenic Steroid Abuse on Gingival Tissues, Journal of Periodontology (2006) 77:7, 1104-1109
Empresas de sucesso

Empresas de sucesso

14 comentários:

  1. Não! Os ovos Não!!!!

    ResponderExcluir
  2. Nossa meu Deus imagens bem fortes

    ResponderExcluir
  3. o problema é fazer esses idiotas acreditarem que mais cedo ou mais tarde isso vai lhes fazer mal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com vc! Mais a doença de querer ser bonito é mais forte.

      Excluir
  4. As joias da família estão seguras! Prefiro ser magrelo e manter meu pau e minhas bolas do que ser como esses anabolizados IMBECIS, SEM CÉREBRO, que sacrificam tudo para parecerem BESTAS DE CARGA!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Beleza, só que nenhum desses casos foi provocado por anabolizantes e sim por oleos usados por quem não quer treinar, comer, descansar e claro usar hormônios corretamente.
    Se os efeitos dos anabolizantes fossem tao devastadores eles não seriam receitados por medicos e com certeza nosso corpo não iria produzir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe nada, ingeeenuo. O problema nao esta no hormonio endócrino, mas no excesso deles (ja ouviu falar que ate agua demais mata?), e as vertentes sintéticas dos mesmo.

      Excluir
    2. calaboca seu ignorante sem fundamentos pra fazer um comentario desses, pessoas como vc estao cada vez mais comum, pessoa de mente fraca que a midia consegue influenciar dizendo que aquilo foi causado por anabolizantes, oleoso tem que se foder mesmo, ninguem mando injeta oleo no braço

      Excluir
  6. Isso não é anabol, é ADE. Oleo. Se vão fazer uma matéria sobre anabol, mostrem os reais efeitos colaterais: Cancer. Caralho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aprendi fazer um comentário imbecil.....

      Excluir
    2. Deve criticar porque ta com o saco igual heheh

      Excluir
  7. Acredito que anabolizante só faz este estrago quando usado sem receitados por médicos. Eu mesmo uso mais com orientação medica.

    ResponderExcluir
  8. O cabra colocou óleo no saco e ficou cheio de pipoca...

    ResponderExcluir
  9. Passarinho que come pedra sabe bem o cú que tem ;).

    ResponderExcluir

Deixe seu Comentario

Fabiano . Tecnologia do Blogger.