Pesquisar este blog

Breaking News
recent

O que devo fazer para abri uma empresa

O que é uma empresa! o que devo fazer para abrir uma? vale a pena
Empresa o que é?

Vale a pena abrir uma empresa

Agora ela tem que dar lucro, que compense o investimento que você fez e que justifique mantê-la aberta.
Mas o lucro não vem por acaso, consegui-lo é seu desafio diário. Infelizmente muitas empresas não conseguem mantê-la aberta por muito tempo. Pode acreditar, cerca de 70% das empresas fecham suas portas antes de completarem entre 04 a 05 anos de vida.
Muitas são as causas, mas as mais incidentes que estão relacionadas com as más decisões que os responsáveis tomam diariamente nas empresas que são fruto do modelo de gestão adotada.
Sabemos que o processo de tomada de decisões depende muito da personalidade de quem dirige a empresa, mas também depende do suporte que estas pessoas recebem e das técnicas de gestão que adotam para manter o negócio sob domínio.
Mas, para que o desafio de administrar bem a empresa precisa-se de alinhar a importância de algumas ferramentas de gestão que empresas bem-sucedidas não abrem mão de adotar, e as empresas que fracassaram não adotaram convenientemente este tipo de gestão.
O planejamento é o fator essencial do exercício de se antecipar ao futuro da empresa, de traçar o caminho a seguir, de definir rumo, de preparar a empresa para vencer as condições adversas, de combinar adequadamente os recursos para produzir a competitividade necessária ao mercado.
A providência de planejar a empresa é tomada antes de abrir, se você não cuidou disso, a sorte está lançada, mas ainda dá tempo de realizar o planejamento de sua empresa. Até porque será ação contínua daqui para frente. Os próximos passos de sua empresa precisam ser imaginados e definidos e as condições e recursos necessários para dar estes passos precisam ser seguidos estas etapas. Se você não sabe para onde quer ir, qualquer direção serve se não sabe qual o tipo de empresa que se deseja ter, qualquer um serve se não sabe o lucro que deseja ou que precisa ter, qualquer lucro servirá, até lucro zero. Este tipo que conduz a falta de planejamento tem sido apontado como a principal causa dos fracassos empresariais.
Mas se você iniciou a empresa a partir de um plano que apontou a viabilidade do negócio, parabéns, pois é uma forma certa, mas já está na hora de refazê-lo considerando o fator novo: a empresa está aberta e funcionando, não é mais um sonho. Novas condições estão surgindo, novas providências deverão ser tomadas.
Reflita sobre os desafios que tem de vencer nesta fase de viabilização do negócio:

AS VENDAS

  • Como estão suas vendas?
  • Já ultrapassou o "ponto de equilíbrio"?
  • Qual é a meta de vendas que precisa ser alcançada para acumular o lucro necessário?
  • Você já sabe onde precisa chegar?
  • Já tem uma estratégica de como atingir o volume de vendas ideal.

O Ponto de Equilíbrio 

É uma ferramenta utilizada pelos empreendedores, baseada nas relações entre vendas (receitas) e custos, cuja finalidade é determinar o ponto em que as vendas cobre exatamente os custos totais da empresa.
A análise do Ponto de equilíbrio indicará quantos dias você terá que trabalhar para cobrir todos os seus custos mensais e começar a ter lucro.
É bom que se saiba qual é o seu Ponto de equilíbrio, pois sem essa informação fica muito difícil saber se o seu esforço de vendas no mês está sendo satisfatório ou mesmo se a sua estratégia de venda está dando resultados.
A meta de venda do Ponto de Equilíbrio e a meta de vendas para gerar o lucro desejado são a sua principal força de planejamento.

Os concorrentes da empresa

  • Como os seus concorrentes reagiram à chegada da sua empresa no mercado?
  • Você já sabe se houve alguma movimentação dos seus concorrentes na política de preços, nas condições de pagamentos ou na qualidade dos produtos/serviços oferecidos como forma de barrar ou criar dificuldades para a sua entrada?
  • Você, no contato com os seus clientes, têm percebido a movimentação dos seus concorrentes?
  • Qual é a sua estratégia para monitorar a ação dos concorrentes?
Os Concorrentes: você tem, basicamente, dois tipos de concorrentes: o direto e o indireto.
- O Concorrente direto:é aquele que fornece um produto igual ao seu ou com poucas diferenças.
- O Concorrente indireto:é aquele que compete com você na conquista do cliente, ou seja, ele disputa com você o "bolso do cliente" (renda disponível do cliente) com outros produtos ou até mesmo produtos substitutos aos que você oferece.
Essa distinção é importante, pois permite a você duas coisas: primeiro, saber quem realmente está disputando o cliente com você e as suas estratégias; segundo, obriga a conhecer melhor o seu cliente para saber quais são os interesses e no que eles pretendem gastar os seus recursos, para que você possa fazer uma oferta adequada às necessidades deles.

Os fornecedores da empresa

  • Como está o seu relacionamento com os fornecedores?
  • Você já conseguiu abrir uma política de crédito com eles ou ainda tem que comprar a vista?
  • Aqueles fornecedores previstos inicialmente têm atendido a sua necessidade e em condições favoráveis de preço, qualidade e de entrega?
  • É você que tem comprado pessoalmente?
  • Como você está controlando a chegada e saída desse material na sua empresa?
  • Qual a sua estratégia para abrir novos fornecedores e manter uma boa relação com os atuais para conseguir melhores preços, prazos e condições de pagamento?
Política de Crédito: as empresas, normalmente, elaboram um cadastro de seus clientes, com dados tais como: porte da empresa, faturamento médio, últimas compras, pontualidade nos pagamentos, referências comerciais e bancárias, entre outros, para definir o risco de crédito de seus clientes, ou seja, o quanto elas podem confiar nos seus clientes. Através dela que as empresas concedem descontos, prazos maiores para pagamento ou mesmo definem ofertas especificas aos seus grupos de clientes.

Os custos da empresa

  • Você já sabe com maior clareza quais são os custos que precisa pagar independente de você vender ou não?
  • Eles estão sendo registrados para que você possa controlá-los melhor?
  • Você já consegue dimensionar se os custos fixos irão se repetir para os próximos meses?
  • É possível reduzi-los sem que isso afete o funcionamento da empresa?
Classificação de Custos: quando nos referimos a custo estamos sempre falando do sacrifício que as empresas fazem para pagarem as suas contas. Para facilitar, podemos dividir os custos em dois tipos: os custos fixos e os custos variáveis.
  • Custos Fixos: são aqueles que não se alteram, pelo aumento ou redução do nível de produção ou de vendas.
Exemplo:
Se a empresa paga mensalmente o valor de R$ 1.600,00, a título de aluguel do imóvel onde está instalada, havendo um aumento ou uma queda de 15% na produção ou venda mensal, o aluguel permanece inalterada. É exatamente esse fato que caracteriza o custo fixo.
  • Custos Variáveis: são aqueles que variam em função do nível de produção e vendas.
Exemplo:
Suponhamos que uma empresa venda R$ 15.000,00 em um determinado mês e pague, a título de comissões, 5% das vendas. Naquele mês, ela terá que desembolsar R$ 750,00. Caso aumente suas vendas para R$ 35.000,00, terá que pagar não mais R$ 750,00, e sim R$ 1.750,00 (5% do novo volume de vendas).
Margem de Contribuição: é um dos conceitos mais importantes dentro da análise financeira de uma empresa. É o que sobra para a empresa da receita de vendas após pagar os custos variáveis. É através da análise da margem de contribuição de cada produto que você poderá avaliar a viabilidade de manter ou não um produto, de saber se ele lhe traz lucro ou prejuízo.
No atual ambiente de negócio em que vivemos, ter esses custos definidos e bem organizados é condição crucial para o sucesso de uma empresa. Se você sabe exatamente quanto custa o seu produto ou serviço e o seu cliente lhe pede um desconto, ficará muito mais fácil concedê-lo ou não fechar uma grande venda ou, se não está obtendo os lucros desejados e precisa reduzir custos, saberá com mais facilidade aonde deverá cortar as suas despesas. 
Situação financeira da empresa
  • Como está o seu resultado financeiro?
  • Você já sabe se tem lucro ou prejuízo com sua empresa nesse período?
  • Você saberia dizer isso precisamente hoje?
Lucro: por definição, é uma função entre receitas e custos.
Portanto, lucro = receitas – custos.
As receitas são determinadas pelo preço unitário e o número de unidades vendidas.
Portanto, receita = preço x quantidade vendida.
Os custos podem ser divididos em custos fixos e custos variáveis, lembrando que os custos variáveis totais dependem das unidades vendidas.
Portanto, custos totais = custos fixos totais + custos variáveis totais, sendo que os custos variáveis totais = custo variável unitário x quantidade vendida.
Assim, pode se tirar algumas conclusões:
  1. O lucro poderá ser maior se o custo fixo total for menor;
  2. Se você não alterar o seu custo fixo total, para aumentar o seu lucro é preciso aumentar a quantidade vendida ou reduzir o custo variável unitário de seus produtos;
  3. O preço exerce um papel fundamental no lucro. No entanto, a sua elevação depende muito do quanto o seu cliente está disposto a pagar.
Dessa forma, quando se fala em aumentar o seu lucro, é preciso estar atento a esses fatores que o condicionam. É preciso definir as suas metas para volume de vendas, lucro e custos, visando obter melhores resultados.

Preços de vendas da empresa

  • Como os clientes reagiram aos seus preços de venda e às condições de pagamento oferecidas?
  • Agora que você está com a empresa aberta, o calculo para formar o preço de venda do produto já está mais fácil ou ainda tem dúvidas sobre como deveria calcular esses preços?
  • Você já tem a lista de materiais que tem que comprar em função do volume de vendas do seu produto / serviço?
  • Você já se perguntou se os clientes pagariam mais pelos seus produtos ou serviços?
  • Comprando aos seus concorrentes você está acima ou abaixo dos preços praticados?
  • Os clientes reconhecem a qualidade de sua empresa e estão dispostos a pagar por isso?
  • Qual a sua estratégia para se diferenciar dos demais?
Nessa questão existem pelo menos três métodos que o ajudarão a calcular o preço de venda do seu produto: preço a partir do custo; preço a partir da concorrência e preço a partir do consumidor.
- Preço a partir do custo: é uma maneira da empresa calcular o seu preço de venda de dentro para fora, ou seja, o preço ideal é calculado para cobrir todos os custos e despesas da empresa, obtendo, portanto, o lucro desejado.
- Preço a partir da concorrência: parte-se do preço praticado no mercado pela concorrência, ou seja, de fora para dentro, e calcula-se internamente para verificar se esse preço cobrirá todos os custos de despesas da empresa, obtendo, portanto, o lucro desejado.
- Preço a partir do consumidor: parte-se de uma pesquisa junto ao público-alvo para determinar o quanto ele estaria disposto a pagar pelos produtos e serviços ofertados para, então, verificar se esse preço cobrirá todos os custos e despesas, permitindo, assim, chegar ao lucro desejado.
Assim, qualquer que seja o método que venha a aplicar, você precisará ter certeza que o preço que praticar será compensador para a sua empresa, isto é, cobrirá os seus custos gerando, ainda, margem de lucro. Se o preço calculado por você e tido como razoável para a sua empresa, é sinal de que você provavelmente precise rever o seu modelo de negócio e obter substancial redução dos seus custos.

Os controles da empresa

  • Você tem utilizado a ferramenta "fluxo de caixa" para gerenciar a entrada e saída de recursos financeiros na sua empresa?
  • Você fez o controle das contas a pagar e a receber?
  • As emissões de cheques têm sido controladas?
  • Cartão de crédito e descontos de duplicatas são lucratividade, rentabilidade, margem de contribuição entre outros?
  • Qual a sua estratégia de custo, médio e longo prazo?
Fluxo de caixa: é uma ferramenta utilizada para medir as necessidades futuras de recursos, a capacidade de pagamento pontual dos compromissos assumidos, bem como a disponibilidade para investimentos. É composto basicamente pela combinação de contas a pagar e contas a receber.
- Contas a pagar:são todas as obrigações assumidas pela empresa, como de compras de mercadorias para revenda ou industrialização, impostos e outros custos variáveis, despesas, fixas, investimento etc.
- Contas a receber: são direitos que a empresa possui, correspondentes à venda de mercadorias, prestação de serviços ou venda de bens do imobilizado (imóveis, veículos, equipamentos etc.). É importante para melhorar retratar as expectativas de entrada de caixa, considerar as vendas estimadas, ainda não realizadas.
Algumas questões importantes podem ser verificadas a partir dessa ferramenta:
  • Se houver atraso no recebimento das vendas, como devo proceder para ajustar as contas a pagar?
  • Qual o valor das vendas projetadas e em que data deve considerá-las?
  • Quando o fluxo acumulado for negativo, ou seja, quando o volume previsto para entrar for menor do que o de sair, quais os compromissos a serem postergados para equilibrar o fluxo?
  • Quanto de dinheiro preciso para manter o funcionamento da empresa?
As três coisas mais importantes a serem medidas num negócio são: a satisfação dos clientes, a satisfação dos empregados e o fluxo de caixa.

Contador da empresa

  • Como está o seu controle fiscal?
  • Você possui um contador?
  • Você sabe todos os encargos, contribuições e impostos que você paga?
  • Você tem plano de contas para registrar a movimentação de materiais, pagamentos diversos, patrimônio, entre outras, a fim de controlar todas as operações da empresa?

Os funcionários da empresa

  • Como está a sua relação com os funcionários?
  • Quais os critérios que você utilizou para a contratação?
  • Você tem conseguido passar a eles a sua visão do negócio e quais são as metas que a empresa está perseguindo (metas de vendas, de produção, de custos, de lucro etc.)?
  • As funções que inicialmente você desenhou estão claras e todos sabem o que devem fazer como fazer e a quem se reportar?
  • Como você tem controlado os registros de funcionários?
  • Você já possui uma pasta de cada funcionário de acordo com as normas da legislação trabalhista?
  • Os salários que você está oferecendo serviram para atrair funcionários talentosos para a sua equipe?
  • Você tem uma estratégia para ter pessoas competentes trabalhando para você?
Equipe: a contratação exige alguns cuidados na seleção de pessoal. Você deve ser muito claro em relação à seleção realizada, se não for de forma cuidadosa e sistemática, poderá pôr o seu trabalho todo a perder.
Uma vez montada a equipe, é importante a avaliação de desempenho desse pessoal; se forem metas quantitativas, a definição de avaliação de desempenho é um processo simples. Sempre que possível, a atuação poderá ser medida em termos específicos, como o cumprimento das metas estabelecidas.
Então, como você cobra resultados de sua equipe?
SUA VIDA PESSOAL:
  • Por fim, como você está após esse período?
  • Você tem conversado com amigos ou outros colegas empresários sobre esses desafios e de como eles superaram essa fase final?
  • Você tem conseguido um momento para relaxar e recuperar as energias?
  • Você já domina a sua empresa ou a empresa ainda controla você?
Estresse: o estresse é o resultado de uma reação que o nosso organismo tem quando estimulado por fatores externos e emocionais. A primeira coisa que acontece é uma descarga de adrenalina no nosso organismo, e os órgãos que mais sentem são o aparelho circulatório e o respiratório, causando a aceleração dos batimentos cardíacos e da respiração, podendo levar a uma hipertensão arterial.
Quando o fator de estresse se torna crônico, pode levar à alteração do humor e instalar outros estados, tais como: depressão, ansiedade excessiva e agressividade.
Portanto, para você, que acaba de abrir a sua empresa e enfrentou nesse período os mais diversos desafios, é importante que pare e cuide um pouco de sua saúde mental e corporal. Lembre-se que você hoje é o oxigênio de sua empresa. Sem você a empresa não existe nesse momento tão delicado, que são as etapas iniciais. Portanto, cuide-se para não somar mais um número negativo nas estatísticas sobre mortalidade de empresa no Brasil.

Dicas para combater o estresse e ser o exemplo da empresa

Faça exercícios físicos ou pratique esporte regularmente. Isso baixa a pressão e alivia as tensões causadas pelo estresse;
Arrume um hobby ou um passatempo. Isso ajuda a desviar a atenção e alivia o estresse;
Procure conversar mais com as outras pessoas, melhore o seu relacionamento. Isso não vai curar, mas vai aliviar as tensões;
Controle a sua dieta, melhorando seus hábitos alimentares, evitando o consumo de álcool e o fumo. Ao contrário do que muita gente pensa essas atitudes não são estressantes, e sim, ajudam a combater o estresse;
Procure sair para se divertir e deixe de se preocupar tanto. Isso irá ajudá-lo a encontrar melhores soluções para o seu dia-a-dia.
O sucesso da empresa depende das decisões do dono. O dono precisa estar permanentemente em condições pessoais ótimas para tomar decisões.
Nesse momento, após ter contado com todos esses aspectos importantes na existência da sua empresa, nos quais uma atuação adequada é condição determinante para o seu sucesso, acredita-se ser imprescindível que você faça uma reflexão profunda e sincera sobre cada um desses aspectos. Algumas questões foram novidades para você, outras nem tanto, mas é importante que você não descuide de nenhuma delas. Procure melhorar sempre os resultados de sua empresa.
Avalie honestamente o que você conseguiu fazer no período em que sua empresa está atuando. Faça uma lista de tudo que deu certo e errado. Olhe para essa lista de pontos positivos e negativos e se pergunte: O que eu posso melhorar? Como posso corrigir os meus pontos fracos? Quem eu tenho de contatar para ampliar as minhas vendas? Como está o meu resultado financeiro nesse período? Tenho caixa suficiente para enfrentar os próximos três meses? O que tem dado certo e merece ser ampliado e reforçado? O que posso descartar? Como posso me capacitar para melhor conduzir a minha empresa? Enfim, é importante fazer das atividades como forma de correção de rumo para alcançar os seus objetivos.


Empresas de sucesso

Empresas de sucesso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentario

Fabiano . Tecnologia do Blogger.