Pesquisar este blog

Breaking News
recent

O cotidiano na China do período Chou

A agricultura era a principal atividade da economia chinesa antiga. Por isso os dois grupos principais da sociedade estavam ligados à terra: os camponeses e os nobres.

A agricultura chinesa

O cotidiano na China do período Chou

Dinastia Chou

A base da atividade agrícola, ao norte, era o cultivo do painço, uma espécie de gramínea usada na alimentação humana e de animais domésticos. Também se cultivavam cevada, arroz (no sul e no nordeste), trigo, melão, abóbora, pepino, cebola, alho e outros produtos. Destacavam-se também as culturas da amoreira, cujas folhas eram usadas como alimento para as criações de bicho-da-seda, e o cânhamo, utilizado na produção de tecidos
No período Chou, houve algumas inovações técnicas. Há indícios do uso de bovinos para a terra e da prática da rotação de culturas, o que permitiu o aumento da produção agrícola. Além disso, os chineses desenvolveram um eficiente sistema de irrigação, aproveitando as águas dos rios, principalmente do Rio Amarelo.

Outras atividades econômicas

Na China da dinastia Chou, havia também uma intensa exploração de madeiras e criava-se gado. No artesanato desse período, destacaram-se a tecelagem de seda, atividade executada em geral pelas mulheres, e a fabricação de objetos de madeira e bronze. Muitas das peças produzidas pelos artesãos desse período baseavam-se nas técnicas desenvolvidas no período Chang. A grande contribuição dos Chou no artesanato foi a fabricação de sinos de bronze, que provavelmente era usados nas cerimônias fúnebres.
As atividades comerciais se desenvolveram na China durante a época Chang. Os primeiros objetos usados como moeda foram tipos de conchas, mais tarde substituídos por peças de osso. Já no período Chou, as operações comerciais passaram a ser feitas com o auxílio de objetos de cobre.
A ampliação das atividades mercantis levou os governos a investir na construção e na manutenção das estradas, por onde passavam caravanas de mercadores e veículos que transportavam pessoas. No período Chou, o transporte fluvial tinha ainda pouca expressão na China.

A vida dos camponeses e dos nobres

A sociedade chinesa dividia-se em dois grupos principais: camponeses e nobres. Entre eles havia grandes diferenças.
Os nobres
Os nobres eram os proprietários das terras viviam da exploração do trabalho dos camponeses. Eles se organizavam em clãs, ou seja, grupos de pessoas que descendiam de um ancestral comum. Esse antepassado tinha sido uma pessoa ilustre, por exemplo, um grande conquistador ou um rei. Alguns nobres alegavam ter por antepassado comum um animal ou até mesmo uma planta.
Nas famílias nobres, o homem exercia autoridade sobre todos os membros: tinha poder para decidir se uma criança recém nascida ficaria na casa ou seria rejeitada, julgava e punia os crimes cometidos na comunidade e podia possuir várias esposas. Era dessas famílias que se originavam os principais funcionários do Estado.
Os camponeses
A vida dos camponeses era regida pelas estações do ano. No verão, época das plantações, eles viviam no campo, habitando pequenas choupanas. No inverno, retiravam-se para as aldeias, onde esperavam a primavera, dedicando-se ao artesanato e preparando as festividades coletivas.
Os camponeses cultivavam as terras de seus senhores, com quem dividiam os frutos das colheitas. Cada família tinha o direito de cultivar uma parte do terreno para si. No centro da propriedade, ficavam as terras cuja produção destinava-se ao senhor, mas deviam ser cultivadas pelos camponeses.
Com o tempo, cresceram os setores intermediários da sociedade, representados principalmente por mercadores, funcionários do Estado, artesãos e escribas. Na dinastia Chou, houve também uma grande expansão no número de escravos, formados por habitantes das aldeias conquistadas.     
Empresas de sucesso

Empresas de sucesso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentario

Fabiano . Tecnologia do Blogger.