Pesquisar este blog

Breaking News
recent

Creepypasta do Pianista

Esta creepypasta conta a história de um jovem pianista que veio escolher medidas não tradicionais para acabar se dando bem e no final arcou com as consequências espantosas. Está é apenas uma creepypasta de terror, mais tome muito cuidado com suas decisões. O que você vai vê nesta história de terror pode sim acontecer na vida real. Pense nas suas decisões elas também pode lhe custar caro. 

O Pianista - História de terror

O Pianista

 Vídeo do Pianista do Diabo

#Creepypasta do #Pianista: #Amor #paixão, #beleza, e o famoso pacto maldito.

O Pianista - Contos de terror

O Pianista Pactos com diabo sempre acabam mal, não importa o quão duro você tente pedir algo justo. Eu aprendi isso da maneira mais difícil, e agora. A agora sou um mostro. Tudo o que eu amava tão profundamente carregou das minhas mãos, nada é como deveria ser. Eu devia tê-la. Era para eu ser feliz com ela. Agora ela se foi... E tudo que me resta é este maldito piano. Não importa o quanto eu odeie esse estúpido, estúpido piano... Eu sou obrigada a tocá-lo pelo resta dessa minha vida maldita nesta terra.
Eu também era um homem bem de vida. Eu tinha algum dinheiro, uma casa boa e um bom carro. Eu também tinha charme, oh, o número de mulheres que eu tinha seduzido para a minha cama. Eu poderia ter qualquer mulher no mundo, mas eu tinha os olhos posto nela, Alice. Ela era uma mulher tão bonita. Seus olhos cabelos marrons, descendo em cachos e os olhos cor de âmbar. Eu não posso descrever sua beleza com meras palavras. Mas eu não era o seu tipo de homem. Eu ia de garota a garota, enquanto ela preferia ficar em um relacionamento sério. Eu amava uma vida de luxo, mas ela estava contente em viver em um pequeno apartamento urbano. Eu amava as músicas das baladas enquanto ela adorava o som de um piano clássico. Ela não sabia da minha existência isso que me atraiu nela. Ela era algo que eu não podia ter e que eu queria tanto.
Eu decidi que a melhor maneira de chamar a atenção dela era aprender a tocar piano. Eu sei que a maioria das pessoas teria apenas tentado falar com ela ou algo assim, mais isso simplesmente não parecia certo para mim. Eu queria que ela me admirasse, me idolatrasse. Então, eu tentei... Mas só fracassei. Aparentemente, eu não tinha mãos de pianistas, nem tinha nenhum talento musical. Eu decidi falar com os meus amigos sobre isso. É claro que eles riram de mim, me dizendo que eu era idiota para tentar, mas eu realmente a queria e o único jeito que eu tinha para conquistá-la era saber tocar naquele maldito piano. Então meu amigo disse algo que me fez pensar.
‘’Você não sabe todas as pessoas com ‘’talento’’ venderam a sua própria alma ao diabo?’’ Eu sei que ele estava brincando, mas e se? E se houvesse uma chance de eu pudesse vender minha alma para ter esse talento musical? Ela iria ter que gostar de mim agora, não?
Eu comecei a pesquisa tudo o que tinha haver com a Invocação do Grande Demônio. É claro que havia idiotas falando para que eu não fizesse isto, que coisas ruins vão acontecer e blá blá blá. Decidi fazer o ritual à meia – noite, parecia uma boa hora e ninguém iria me interromper. Após muitos encantamentos nada aconteceu... Bem nada parecia ter acontecido. Havia algo ali, não visível, mas eu podia dizer que estava lá. Então eu pedi para fazer um acordo com ele. Ele riu e riu, mas concordou. Eu teria talento musical e ele teria a minha alma em troca, tudo o que eu tinha que fazer era assinar o contrato. Bastante simples, mas aquela coisa era enorme, tipo como os termos e condições que simplesmente não li e assinei em baixo.
Eu ia logo aprender que eu deviria ter lido. Como eu fui idiota. Como demônio prometeu, foi incrível, Eu tinha muito talento, eu podia ler e escrever música e ficava incrível. Eu gentilmente ao teatro local para que eu abrissem as portas e me deixassem tocas minhas músicas lindar e arrepiantes e, surpreendentemente, eles concordaram. Eu lembro que eu estava tão nervoso na noite da minha apresentação. Será que ela estaria lá? Eu não podia vê-la no meio da multidão. É claro que ela não estaria aqui eu era um amador. Eu toquei por horas e horas, mas para mim pareceu que foram alguns minutos. Eu tenho que admitir que aquilo me arrepiava até os ossos. Quando terminei eu simplesmente me levantei e fiz reverência para o publico, mas só havia silêncio. Um silêncio frio. Será que eu não toquei bem suficiente? Um bater de palmas súbito me trouxe de volta à realidade. Olhei para cima e a vi. Era ela quem aplaudia e logo outros começaram a se juntar a ela. Tivemos uma festa depois da apresentação e ela veio e começou a falar comigo, me dizendo o quanto ela admirou e gostou da minha performance.
Depois daquela noite, mantivemos contato e conversamos quase todos os dias. Mas à medida que íamos falando... A voz dela... Eu podia ouvi-la cada vez ficar mais fraca a cada dia. Em seguida, as histórias ia chegando que as pessoas que estavam caindo como moscas, as pessoas que foram para me ver tocar. Isso continuou acontecendo e eu não podia fazer nada sobre isso. Eu esperava desesperadamente que o que estava acontecendo com Alice não fosse minha culpa, que não fosse o que aconteceu com os outros. Mas, infelizmente, a pobre moça morreu em seu sono. Os médicos não encontraram nada de errado com ela e não tem certeza sobre a causa. Eles simplesmente dizem que ela apenas adormeceu e não acordou. Fique arrasado e ainda estou. A pessoa que eu amava. Eu finalmente consegui e agora ela simplesmente... Desapareceu.
Decidi confrontar aquele maldito demônio. Eu faria ele me dizer o que diabos estava acontecendo. Então eu o invoquei.
‘’Alguém não leu o contrato inteiro, hum?’’. Ele apenas riu da minha miséria. Mas ele estava certo, eu não tinha lido corretamente, eu não tinha lido nada. Pedi para ver o contrato e ele concordou alegremente. Eu li a coisa toda desta vez e foi aí que eu percebi. ‘’Tenho a honra de dar ao cliente um talento musical incrível, mas a música que ele criará trará azar de todos aqueles que a escutarem, incluindo a morte’’. Eu era a causa da morte dela... Era eu. Eu queria para de tocar qualquer piano, eu não queria que ninguém mais sofresse pelas minhas mãos.
E por isso, se você estiver passando pela rua ou perto de um teatro vazio e ver no palco um pianista solitário sentado em seu tocando músicas lindas, mas arrepiantes, cubra seus ouvidos e saia calmamente. Não diga nenhuma palavra e não ouça a música completa ou você vai acabar como o resto deles, morto. 


Você vai gostar de descobrir: O que significa creepypasta

Conclusão da creepypasta 

Pactos com Diabo sempre pode acabar mal, não importa o quão duro você pedir algo justo. Procure aprender isso antes de cometer um grave erro desse.
Empresas de sucesso

Empresas de sucesso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentario

Fabiano . Tecnologia do Blogger.