Pesquisar este blog

Breaking News
recent

Modificação corporal

A modificação corporal é a alteração definida e permanente do corpo humano por procedência não médica. Incide em qualquer mudança realizada em qualquer parte do corpo humano, com desígnio de diferenciar o indivíduo de outros. Na maioria das vezes atrelada à comprovação de coragem, proteção ou algum tipo de rito de passagem, por exemplo, para a idade adulta.
História da modificação corporal

Breve análise do corpo na história 

“O corpo é também educado pela comida, pelas religiões, pela mídia, pelas diferentes práticas convencionadas como mais ou menos adequadas para que dele se “cuide”. Falar de uma educação do corpo, portanto, é falar de um lento processo civilizatório, da lenta e complexa mudança de sensibilidade, da tolerância ou intolerância por atitudes humanas, de uma consideração cada vez mais eloquente que confere ao corpo uma importância sempre mais alargada. Ele é o texto que revela trechos bem marcados da história de cada sociedade.” (Marcel Mauss).

História

Há descrições que indicam que os primeiros Cristãos tatuavam uma cruz em suas faces ou ombros. Mas ao longo do tempo as marcas corporais passaram a ser vistas como um sinal de paganismo. Em 787 D.C., em um Concílio das Igrejas realizados em Calcutá, todas as formas de tatuagem foram proibidas. No entender da Igreja, as marcas corporais são consideradas como atos de violência realizados contra o corpo.
Com o decorrer dos séculos, as práticas de modificação corporal continuaram a existir e alastrar por diversos países, como as tatuagens na Oceania, as perfurações na Ásia e na América, e a escarificação na África. Esses costumes tribais foram descobertos pelos marinheiros europeus no século XVI, mas ficaram marginalizados durante muito tempo.
Na década de 1960, houve uma valorização da cultura oriental e as tatuagens passaram a ser mais populares. Já as perfurações e os piercings começaram na década de 1970, com os punks. Na década de 1990 ocorreu uma explosão de estilos e práticas. Atualmente também é tida como prática erótica.

Técnicas para modificação corporal 

Para a modificação corporal pode se usar de várias técnicas como tatuagem, inclusão de corpos estranhos (madeira, metal, silicone, piercings etc.) E também criação de cicatrizes por meio de cortes queimaduras ou escarificação e também práticas radicais ligadas a culturas primitivas, como os pés de chinesas e as mulheres-girafa. Os pés de chinesas em formato de bulbo de lótus, apreciados antigamente um marco de beleza feminina, eram quebrados ainda na infância ou puberdade, e virados para dentro, processo acompanhado de dor excruciante, e depois enfaixados diariamente. Hoje em dia há menos de 400 mulheres com pés enfaixados entre os 1,25 bilhões de pessoas da China, a maior parte delas com mais de 80 anos. O que já foi um símbolo erótico de beleza e eleição nos confronta com um costume que subjugava mulheres a um mito de beleza selvagem.
Na Tailândia e na tribo Ndebele da África há as chamadas “Mulheres-girafa”. As mulheres dos Padaung começaram a usar anéis metálicos no pescoço antes da puberdade. O numero de anéis vai sendo aumentado até chegar a 5 quilos ou mais de peso, alongando o pescoço. Não podem ser retirados sem que o pescoço se parta.
Nas últimas décadas outros procedimentos se tornaram cada vez mais populares, entre eles o piercing em suas várias formas e as tatuagens. Enquanto que estas práticas eram comumente associadas ao sado-masoquismo e à perversão e comportamento transgressivo, tem havido uma mudança gradual na forma de considerá-las. Varias mostram que entre os adolescentes, as maiores motivações para realização de piercing ou tatuagem são: a procura de uma forma de se exprimir personalizada, fazer uma prova de coragem e seguir uma moda. Além disto, são citados seu próprio ritual de passagem à idade, lá onde as sociedades nada haviam previsto para eles. Na maioria das vezes o uso do piercing nada tem a ver com um ‘prazer na dor’, mas a dor que acompanha o piercing não é mais que um efeito secundário – importante – necessário a um ritual de passagem bem-sucedido.
Tatuagem
Modificação corporal
A tatuagem é um procedimento no qual um pigmento, normalmente tinta, é permanente colocado na pele. Como define Célia Maria Antonacci a tatuagem é a “marca registrada no corpo intencionalmente, a parti dos métodos de furar a pele para inserir pigmentos e forma arabesco, imagens ou números”.
Escarificação 
Modificação corporal
A escarificação é uma forma de modificação corporal que produz marcas no corpo, desenhos e números como exemplo, com base na criação de cicatrizes. Assim como a tatuagem, não existe uma idéia exata de quando e onde se começam essas práticas, mas indícios históricos nos remetem às primeiras sociedades humanas.
Cold branding 
Modificação corporal
Cold branding  é uma técnica que um pequeno número de pessoas experimentaram no interior do Brasil não há registros de praticantes. Muitos fazendeiros utilizam a técnica para marca gados. O procedimento é similar ao strike branding, o aço é imerso numa solução de liquido de nitrogênio ou alguma outra substância similar, e então pressionado contra a pele. O tempo de exposição ao material vai variar de acordo com a espessura da pele aplicada.
Dremel 
Dremel
Dremel, também conhecida como “escarificação abrasiva”, utiliza-se normalmente uma ferramenta de rotação para “lixar” a pele e gerar cicatrizes. Se todas as técnicas existentes podem cuidado, esta exige até mais, por conta do alto nível de perigo em contaminação. Não há registros de praticantes no Brasil, apesar da precisão possibilitada pela técnica.
Branding 
Modificação corporal
Branding é a escarificação produzida através da queimadura (geralmente em 2° grau) da pele. As formas para a realização são variáveis, podendo ser por strike branding, e mais recentemente por eletrocauterizador e laser.
Tattoo gun 
Modificação corporal
Tattoo gun é a técnica que alguns profissionais vão praticar, utilizando como instrumental uma máquina de tatuagem para produção das figuras, sem a utilização de tintas. Alguns poucos casos da prática no Brasil no começo da primeira década do ano 2000.
Skim removal 
Peeling ou skinning
Skim removal, conhecido também como peeling ou skinning, é uma técnica que consiste na remoção de áreas – grandes ou pequenas de tecidos, normalmente através do uso de bisturi. Dentro do grupo da modificação corporal o espanhol (Toro) foi considerado o “iniciador” da técnica, que posteriormente foi bastante popularizada.
Surface piercing 
Modificação corporal
Surface piercing é uma vertente – assim podemos dizer - do piercing tradicional, onde as perfurações de entrada e saída são feitas usualmente na mesma área da pele, podemos em alguns casos, utilizar uma área maior de tecido para colocação da peça.
Ear pointing 
Modificação corporal
Ear pointing é o procedimento onde a orelha é modificada para ficar parecida com o formato da orelha de um Elfo ou dos clássicos personagens Vulcans do Star Trek, a exemplo do Dr. Spock.
Nulificação 
Modificação corporal
A nulificação é a remoção voluntária de partes do corpo. Ela pode acontecer de diversas formas, como exemplos: a castração, penectomia e a amputação de dedos, dentes, mamilos ou partes inteiras do corpo. Tal prática é relacionada a profundos problemas psiquiátricos, todavia, a psiquiatria moderna começou a reconhecer como uma prática válida.
Body piercing 
Modificação corporal
Body piercing se refere ao ato de perfurar alguma parte do corpo humano com o propósito de utilizar joias na abertura criada. Assim como a tatuagem e a escarificação, é uma das técnicas milenares da modificação corporal que não possui uma datação exata de quando tenha se iniciado.
Cutting 
Modificação corporal
Cutting é sem dúvidas o tipo mais comum de escarificação, pela precisão e segurança que a mesma oferece. O cutting consiste na realização de cortes criando figuras pré-definidas através da utilização de lâmina cirúrgica ou bisturi. A dor é comparada a de uma tatuagem, alguns afirmam que a dor é até menor.
Tongue Splitting 
Modificação corporal
O Tongue Splitting é a bifurcação central da língua, dando a aparência de língua de cobra. Com o tempo e dependendo do quanto à língua foi bipartida, cada parte pode ser controlada separadamente.
É um procedimento que envolve a retirada de tecidos da cartilagem e a sutura da mesma. Assim como os implantes, é um procedimento cirúrgico e que em sua maioria conta com o uso de anestésico e automaticamente, por conta principalmente disto, tem seu grau de risco.

Você pode citar este artigo, basta copiar o texto formatado logo abaixo. 
Fonte: Empresas de sucesso - Modificação corporal. Pesquisa: Fabiano Rodrigues. Disponível em: http://www.empresasdesucessos.com/2016/08/modificacao-corporal-historia-dicas-tatuagem.html

Referências e bibliografia 
1* HARAWAY, Donna. Um manifesto para os cyborgs: ciência, tecnologia e feminismosocialista na década de 80. In: BUARQUE DE HOLANDA, Heloísa (org). Tendências e impasses: o feminismo como crítica da cultura.Rio de Janeiro: Rocco, 1994.p. 243-288
2* LE GOFF, Jacques; TRUONG, Nicolas. Uma história do corpo na Idade Média, p. 16
3* TEIXEIRA Daniela Pessanha. Intensidades Corporais e Subjetividades Contemporâneas: uma reflexão sobre o movimento da Body Modification. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica do Departamento de Psicologia do Centro de Teologia e Ciências Humanas da PUC-Rio. Julho de 2006
4* RAMOS, Célia Maria Antonacci. Teorias da Tatuagem. Santa Catarina: Udesc Editora, 2001, p. 33. 
5* Sigla para “leave it hell alone”, ou seja, o próprio corpo cuidará do branding.
6* MARTIN, Carla Ruiz. Movimento de Contestação ou agressão ao corpo? Uma discussão sobre a Body Modification e a arte da performance na década de 90.
7* ARAUJO, Leusa. Tatuagem, piercing e outras mensagens do corpo. São Paulo: Editora Cosac Naify, 2005.
8* BRAZ, Camilo Albuquerque de. Além da Pele – Um Olhar Antropológico Sobre a Body Modification em São Paulo. Dissertação de Mestrado. UNICAMP, 2006
9* KEMP, Kênia. Corpo modificado, corpo livre?. São Paulo: Paulus, 2005.
10* LE GOFF, Jacques; TRUONG, Nicolas. Uma História do corpo na idade média. São Paulo: Editora Civilização Brasileira, 2006.
11* PAIN, Maria Cristina Chimelo; STREY, Marlene Neves. Corpos em metamorfose: um breve olhar sobre os corpos na história, e novas configurações de corpos na atualidade. Revista Digital de Educación Física y Deportes - Buenos Aires - Año 10 - N° 79 - Diciembre de 2004.
12* RAMOS, Célia Maria Antonacci. Teorias da Tatuagem. Santa Catarina: Udesc Editora, 2001.
13*Abd-Allaah ibn Mas’ood wrote: “May or may not Allaah curse the women who do tattoos and those for whom tattoos are done, those who pluck their eyebrows and nose hairs, and those who file their teeth for the purpose of beautification and alter the creation of Allaah.” (al-Bukhaari, al-Libaas, 5587; Muslim, al-Libaas, 5538)
14* Ventura, Miriam. "Limites e possibilidades do exercício da autonomia nas práticas terapêuticas de modificação corporal e alteração da identidade sexual." Physis (Rio J.) 19.1 (2009): 65-93.
15* GORENDER, Míriam Elza. Estéticas do corpo: técnicas de modificação corporal. Cógito, v. 9, p. 39-41, 2008.
16* Modificação corporal - Wikipédia, a enciclopédia livre.
17* Tatuagem - Wikipédia, a enciclopédia livre.
18* Corpo humano - Wikipédia, a enciclopédia livre.
19* RIBEIRO, Liliane Brum. Cirurgia Plástica estética em corpos femininos: a medicalização da diferença. Disponível em: http://www.antropologia.com.br/arti/colab/vram2003/a13-lbribeiro.pdf
20* O corpo como suporte da Arte - Psicopatologia Fundamental.
Empresas de sucesso

Empresas de sucesso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu Comentario

Fabiano . Tecnologia do Blogger.